Palavra do Presidente – Agosto 2020

2020: ano de congressos online

O ano de 2020, antes de ser um ano de pandemia, foi antes, um ano de graças. A RCC Brasil nos agraciou desde o início do isolamento social até agora com 04 congressos: Querigmático; M. Pregação; M. Formação e do M. Promoção Humana.

Deus foi misericordioso conosco, permitindo mais uma vez a possibilidade de vivermos e trabalharmos em unidade, pois, nos congressos foi trabalhada a parte teórica e coube para nós vivermos a prática aqui: dentro dos grupos e ministérios que coordenamos.

Assim, precisamos viver o amor de Deus; pregar com a nossa vida; contribuir efetivamente com a formação de nossos/as irmãos/irmãs e promover todas as pessoas, a começar pelos de nossa casa. Lembremos:

O lava-pés aconteceu no mesmo cenáculo onde ocorreu Pentecostes, pois, são realidades essencialmente interligadas. Seja um/a promotor/a humano, principalmente você, que é coordenador/a de G.O e ministérios de serviços.

Em sua pregação no congresso do M. Promoção Humana, o Pe. Antônio José refletiu sobre a passagem de Rm. 12, 9-13. Abordou, dentre outros, 04 pontos que eu gostaria de destacar:

1) Que nossa caridade não pode ser fingida, pois, não somos meros empregados/as de Deus para nos limitarmos a realizar ofício de promover os irmãos e irmãs. Devemos fazer promover os outros por amor à Deus;

2) Amar uns aos outros com afeição terna e fraternal, adiantando (apressando) para ajudar os outros;

3) Não relaxar no zelo para com a obra;

4) Socorrer a necessidade do outro e valorizar a prática  da hospitalidade.

Somos todos, irmãos e irmãs, agentes para promover as pessoas. Que Maria, a Senhora e rainha, a mulher de Pentecostes interceda por nós junto ao Seu filho Jesus. Abraços!

Rones Aureliano de Sousa                                                                                    Presidente RCC – Diocese de Uberlândia  Nossa Senhora de Pentecostes, rogai por nós!                                                

 Deus é bom sempre. Sempre Deus é bom.

Deixe uma resposta